Home Page
mmmmmmmmmm
 
 


AMPHIBIA
(em grego: anfi = dupla / bios = vida)
O Brasil tem maior riqueza de anfíbios do mundo (quase 800 espécies)

Características Gerais

Os anfíbios são os primeiros vertebrados quase terrestres. Como o próprio nome sugere, são caracterizados por apresentarem, de maneira geral, o ciclo de vida dependente de dois diferentes ambientes. Assim, a maioria das espécies possui o desenvolvimento da fase de larva (girinos) em meio aquático e da fase adulta em meio terrestre.
A grande maioria dos anfíbios sofre uma série de transformações desde a eclosão dos ovos até o alcance da fase adulta, ao que se denomina metamorfose. Durante esse processo, existe uma radical mudança na alimentação, respiração e até nos membros dos animais, pois enquanto a cauda é absorvida e desaparece, dois pares de patas são desenvolvidos.
A pele dos anfíbios atuais é rica em glândulas mucosas e venenosas. Enquanto o muco umedece a pele, protegendo-a da dessecação e auxiliando na respiração cutânea, as glândulas de veneno produzem toxinas que auxiliam principalmente na sua defesa.

Metamorfose de um anfíbio anuro

Os anfíbios sofrem metamorfose completa, passando por mudanças que preparam um organismo aquático para uma existência terrestre. Dos ovos postos na água, nascem pequenas larvas (os girinos), que possuem brânquias externas e cauda, mas não têm pernas. Com o crescimento e conseqüente desenvolvimento do girino, as brânquias desaparecem, as pernas posteriores surgem, a cauda encolhe e as patas anteriores são formadas. Então, finalmente, desaparece a cauda, resultando num sapo adulto jovem.
Classificação

Com cerca de 5.500 espécies e ampla distribuição geográfica no planeta, os anfíbios são classificados em três grupos ou ordens:
Urodela - representada pelas salamandras e tritões (anfíbios com cauda desenvolvida). Ex.: tritão-dos-alpes ou salamandra-dos-poços
Gymnophiona - representada pelas cobras-cegas (anfíbios ápodos ou sem membros). Ex.: cobras-cegas
Anura - representada pelos sapos, rãs e pererecas, é a principal ordem (anfíbios sem cauda na fase adulta). Ex.: sapo-ferreiro, perereca-verde, rã-manteiga, rã-cachorro.

Características ambientais

Por estarem subordinados a diferentes ambientes, por possuírem a pele bastante permeável e sensível e por apresentarem outras características peculiares, os anfíbios são bastante suscetíveis a variações no ambiente e, por isso, são considerados importantes bioindicadores de qualidade ambiental. Reconhecidos como verdadeiros sensores ambientais, denunciando degradações ocorridas em determinadas áreas, aparentam sofrer declínios populacionais ao redor do planeta.


Espécies invasoras no Brasil


· Bufo marinus – Apesar de não comprovado, esta espécie brasileira nativa da região amazônica possivelmente apresenta problema para outros ambientes dentro do país, quando fora de sua área de distribuição. Na Austrália, por exemplo, este anfíbio é extremamente invasor..

· Rana catesbeiana – A principal espécie exótica invasora de anfíbio no Brasil é a rã-touro. Essa grande rã, originária da América do Norte, foi inicialmente introduzida no país em 1935, com o objetivo de solidificar a criação de rãs em nível local, para fins alimentares. Contudo, essa espécie acabou por escapar de muitos locais de cativeiro e passou a invadir ambientes naturais e corpos d’água como rios, lagos e açudes. Com dieta generalista, tem hábitos carnívoros e compete vorazmente com sapos e rãs nativos. Também é predador de algas bentônicas, desequilibrando processos ecológicos em cursos d’água.

· Xenopus laevis – Anfíbio originário da África, é reconhecido como potencial espécie invasora no Brasil. Bastante utilizado em pesquisas científicas no país, este anfíbio já é responsável por problemas em outros locais, como no Chile. O maior cuidado a se ter aqui é a venda sem critério em pet shops, pois a criação em casa pode facilitar a fuga dos animais e a colonização de ambientes naturais. Aquática, a Xenopus seri de muito difícil controle e é altamente voraz e predadora de muitos outros animais, podendo causar grandes impactos em ambientes naturais e à biodiversidade.

Nunca solte animais de estimação na natureza!

Curiosidades

· Na época reprodutiva, principalmente em estação chuvosa, os anuros (sapos sem cauda) são facilmente observados em corpos d’água e em lugares mais úmidos da floresta. Nessas ocasiões podem ser ouvidas grandes variedades de sons emitidos pelos machos que coaxam (vocalizam) para atrair a fêmea e se reproduzir. Tal fato é mais comum no período noturno, pois como sua pele é permeável, haveria muita perda de água (por evaporação) se vocalizassem durante o dia. Além disso, como os ovos dos anfíbios são destituídos de casca para proteção contra a perda de água, a maioria das espécies necessita de ambientes úmidos ou aquáticos para a sua deposição.

· Apesar de possuírem glândulas de veneno (espalhadas pelo corpo ou localizadas atrás dos olhos), os anfíbios não são capazes de espirrá-lo, como muitas pessoas acreditam. A secreção leitosa produzida pela glândula parotóide somente é exteriorizada quando esta é comprimida (no momento em que algum animal morde o anfíbio, por exemplo).

OBS: As imagens que ilustram essa página são de direitos do Biólogo Gustavo Bettega, Biólogo Magno Segalla e do IBAMA
.

Voltar