DEFINIÇÃO DE PROTOCOLOS DE CONTROLE PARA 10 ESPÉCIES EXÓTICAS INVASORAS NO ESTADO DE SANTA CATARINA

Foram realizados testes de controle para dez espécies exóticas invasoras comuns no estado e nas unidades de conservação administradas pela FATMA. Este trabalho teve apoio da FAPESC - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Santa Catarina - em 2010 e início de 2011. A mensuração de resultados de espécies de alto vigor, em especial de lírio-do-brejo (Hedychium coronarium) e de uva-japonesa (Hovenia dulcis), continuaram sendo monitorados após esse período com recursos providos pelo IPEF - SP (Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais), com conclusão no ano de 2012.

As espécies selecionadas foram:

1. Amora - Rubus fruticosus, nativa da Europa, introduzida como frutífera, invasora em sub-bosque de florestas nativas

2. Amendoeira, castanheira - Terminalia catappa, nativa da Ásia, introduzida para fins ornamentais e de sombra, invasora em restingas ao longo da orla

3. Casuarina - Casuarina equisetifolia, nativa da Austrália, introduzida para fixação de dunas, comum invasora nas restingas ao longo do litoral sul do Brasil

4. Goiaba - Psidium guajava, nativa da América Central e do México, introduzida como frutífera, invasora em ambientes de restinga, florestas degradadas e áreas desmatadas para pastagem 

5. Jambolão - Syzygium cumini, nativo da Ásia, introduzido para fins ornamentais e de sombra, invasora em restingas e florestas degradadas

6. Lírio-do-brejo - Hedychium coronarium, nativo da Ásia, introduzido para fins ornamentais, invasora de áreas úmidas e sub-bosques da floresta atlântica, em grande escala

7. Maria-sem-vergonha, beijinho - Impatiens walleriana, nativa da Ásia, introduzida para fins ornamentais, invasora comum em áreas sombreadas, sub-bosques e beiras de caminhos

8. Piteira - Furcraea foetida, nativa da América Central e do México, introduzida para fins ornamentais, invasora comum nos costões rochosos na região de Florianópolis, inclusive nas ilhas que integram o Parque Estadual do Tabuleiro

9. Trapoeraba-roxa - Tradescantia zebrina, nativa da América Central, introduzida para fins ornamentais, invasora agressiva de sub-bosques florestais.

10. Uva-japonesa - Hovenia dulcisnativa da Ásia, introduzida para fins ornamentais e de sombra, considerada a espécie exótica invasora mais agressiva de florestas degradadas em todas as formações florestais do estado, em especial na região oeste

Nos testes de controle utilizou-se controle químico com uso de herbicidas, com base na Portaria 14/2010 do IBAMA. Ao final do período do projeto, em 02 maio de 2011, foi realizada reunião de apresentação dos resultados para os parceiros: a FATMA - Fundação de Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina, a FLORAM - Fundação de Meio Ambiente de Florianópolis e o ICMBio, além de outros interessados. 

Os resultados das pesquisas estão disponíveis em formato de fichas técnicas e foram incorporados à Base de Dados Nacional de Espécies Exóticas Invasoras na seção de Manejo. Para baixar o documento com os resultados, selecione abaixo:

1. Relatório completo com fotografias (PDF, 12Mb)
2. Relatório completo sem fotografias (PDF, 90Kb)

Voltar